Florística e síndromes de dispersão de um fragmento de cerrado ao sul do estado do Tocantins.pdf

As plantas possuem adaptações conforme o agente de dispersão e está diretamente relacionado com as características morfológicas da espécie e da região de ocorrência. Considerando a carência de informações sobre a vegetação do Tocantins, objetivou-se identificar a composição florística e as síndromes de dispersão num fragmento de cerrado stricto sensu no município de Cariri (TO), a fim de identificar o principal tipo de dispersão neste fragmento florestal e avaliar se o porte das árvores tem relação com a forma de dispersão. A área amostrada foi de 2,75 ha, subdividida em 55 unidades (10 x 50 m) em que as espécies foram classificadas quanto à síndrome de dispersão e a ocorrência em espécies peculiares e acessórias. Foram registrados 2654 indivíduos e identificados 81 espécies, sendo 51,5% dos indivíduos enquadrados na síndrome de dispersão zoocórica, 39,6% anemocórica, 8,64% autocórica.

Created by Marcos Giongo 2020-07-13T15:54:15.578-03:00
Modified by Marcos Giongo 2020-07-13T15:57:51.569-03:00
Versão atual: 1.0
Versões anteriores: